O sítio do INA utiliza cookies para melhorar o seu desempenho e a sua utilização. Os cookies utilizados para as ações essenciais do sítio encontram-se definidas. Consulte a política de privacidade.

Eu aceito cookies.

  • Última actualização: 03 dezembro 2020

Os desafios da gestão de recursos humanos na AP

140 x110 -03 iumA Diretora-Geral do INA, Elisabete de Carvalho, participou no dia 5 de novembro, a convite do Instituto Universitário Militar, numa palestra no âmbito da gestão de recursos humanos.

Esta iniciativa, em formato presencial e virtual, e enquadrada no Curso de Estado-Maior Conjunto, teve como objetivo identificar os novos desafios na gestão de recursos humanos na Administração Pública.
Elisabete de Carvalho abordou o modo como os diferentes Governos Portugueses enquadraram a gestão de recursos humanos nos exercícios de modernização administrativa que promoveram, para tornar a Administração Pública mais eficiente, flexível e próxima dos cidadãos e empresas.

Focou igualmente alguns dos desafios atuais da gestão de recursos humanos, entre os quais destacou a transformação digital. Referiu que para a que a Administração Pública possa antecipar ou acompanhar os requisitos da transição digital terá de apostar na educação e qualificação dos seus trabalhadores e dirigentes nas vertentes tecnológica e gestionária. Terá igualmente de adotar uma gestão estratégica de recursos humanos, assente numa gestão previsional que incorpore processos periódicos de recrutamento e seleção para capacitar e rejuvenescer o setor público. Se as organizações do Estado não tiverem pessoas na quantidade e qualidade necessária ao bom desempenho das funções, só com muito esforço (e "vestir da camisola") se poderá assegurar a efetividade da sua ação, ainda que sob o risco de burnout.

Outro desafio a abraçar é o da transmissão de saber intergeracional. Atendendo à composição demográfica da Administração Pública, urge atrair as novas gerações para promover a troca de saberes, preservando a memória e identidade das instituições: preparar no presente um futuro auspicioso, acolhendo os ensinamentos do passado.

Para concluir, Elisabete de Carvalho deixou a visão de futuro que perfilha para a Administração Pública: uma Administração ágil, ética, próxima dos cidadãos e empresas, inclusiva, capacitada para trabalhar em rede, exaltando os valores da confiança e colaboração, com lideranças autênticas e dinâmicas e constituída por profissionais motivados; uma Administração que se energiza através do cumprimento do seu fim último - servir a sociedade - e que é merecedora do reconhecimento dessa mesma sociedade.

__
Pode subscrever aqui as nossas comunicações eletrónicas para receber informação atualizada.

09 de novembro 2020