O sítio do INA utiliza cookies para melhorar o seu desempenho e a sua utilização. Os cookies utilizados para as ações essenciais do sítio encontram-se definidas. Consulte a política de privacidade.

Eu aceito cookies.

  • Última actualização: 22 outubro 2019

PT | ENG

Relatório sobre o Desenvolvimento Mundial 2015

O Relatório sobre o Desenvolvimento Mundial 2015: Mente, Sociedade e Comportamento está disponível na página Web do Banco Mundial. Visão geral PT

[...] 

O título deste relatório Mente, Sociedade e Comportamento capta a ideia de dispensar atenção ao modo como os seres humanos pensam (o processo mental) e como a história e o contexto da forma de pensamento (a influência da sociedade) podem melhorar a formulação e implementação de políticas de desenvolvimento e intervenções que focalizam as escolhas e as ações humanas (comportamento). Em outras palavras, a política de desenvolvimento precisa de uma reformulação baseada na consideração cuidadosa dos fatores humanos. Este relatório tem por objetivo integrar constatações recentes sobre fundamentos psicológicos e sociais do comportamento a fim de disponibilizá-los às comunidades de desenvolvimento para um uso mais sistemático tanto de pesquisadores como de profissionais. O relatório baseia-se em conclusões de muitas disciplinas, incluindo neurociência, ciência cognitiva, psicologia, economia comportamental, sociologia, ciência política e antropologia. Em uma pesquisa em andamento, essas conclusões ajudam a explicar decisões que as pessoas tomam em muitos aspectos do desenvolvimento, incluindo poupança, investimento, consumo de energia, saúde e criação de filhos. As conclusões também aumentam o entendimento de como os comportamentos coletivos – tais como confiança ou corrupção generalizada – se desenvolvidos e se tornam arraigados em uma sociedade. As constatações aplicam-se não somente a habitantes de países em desenvolvimento, mas também a profissionais do desenvolvimento, os quais também são propensos a errar quando os contextos de tomada de decisão são complexos.

[...]

                                                                                                                                                                                 In: Visão geral