O sítio do INA utiliza cookies para melhorar o seu desempenho e a sua utilização. Os cookies utilizados para as ações essenciais do sítio encontram-se definidas. Consulte a política de privacidade.

Eu aceito cookies.

  • Última actualização: 14 dezembro 2017

PT | ENG

INA apoia MNAA na divulgação da campanha “Vamos pôr o Sequeira no lugar certo?”

sequeira pinturaO INA associa-se ao Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA) no apelo à participação do tecido empresarial, associações, autarquias, escolas e universidades na campanha de fundraising para aquisição da obra “A Adoração dos Magos”, de Domingos Sequeira, em vigor até 30 de abril.

Esta campanha, inédita em Portugal, abre um espaço de cidadania e responsabilidade social a favor do património que é de todos, baseada na convicção de que em conjunto será possível reunir os 600.000 euros que asseguram a fruição pública de uma obra-prima referencial do património cultural português.

Até ao presente foram angariados cerca de 133.000 euros, provenientes em grande maioria de particulares que têm aderido à campanha “Vamos pôr o Sequeira no lugar certo”, inaugurada no final de outubro de 2015. Nos restantes dois meses, para que a campanha seja bem-sucedida, será fundamental a adesão de organizações, empresas e organismos dos diversos setores.

O INA, enquanto entidade central da Administração Pública, e pela natureza transversal da sua missão, apoia o MNAA, um dos mais representativos museus nacionais, na divulgação deste meritório projeto que envolve a sociedade na defesa do bem público e, por inerência, do serviço público.

“Pela prodigiosa modelação das figuras e da luz, e pela estrutura da composição, “A Adoração dos Magos” é, como já em 1837 afirmava um académico romano, um absoluto capolavoro, uma obra-prima. Trata-se de uma obra visionária que evidencia uma marca essencial do estilo do pintor: a sua enorme capacidade de síntese entre o clássico e o romântico”.

“Domingos António de Sequeira (Lisboa, 1768 - Roma, 1837) consegue, graças à precoce revelação do seu talento, proteção aristocrática e uma bolsa para aperfeiçoar a sua arte em Roma. Privou com os melhores mestres, obtendo prémios académicos. Com duas estadias em Paris, onde é distinguido no Salon de 1824, regressa a Roma, reencontrando o reconhecimento dos seus pares do meio artístico”, descreve o MNAA na sua página eletrónica.

Como contribuir: www.museudearteantiga.pt/exposicoes

Mais informações: Cartaz promocional